Administração Científica: O Trabalho Minucioso de Taylor

para Taylor, administrar adequadamente era sinônimo de pagamento salariais justos e custos minimizados de produção

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Atualizado em
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A elaboração estruturada da Teoria da administração científica se deu graças à minuciosa observação e trabalho de Frederick W. Taylor.

Na verdade, Taylor foi capaz de contribuir significativamente para a área administrativa como um todo.

Seu trabalho mais conhecido é de 1911, quando escreveu “Princípios da Administração Científica“, uma de suas obras mais importantes que auxiliou para o desenvolvimento estrutural da área, refletindo sobremaneira na prática empresarial.

Princípios de Administração Científica
Princípios de Administração Científica, Taylor

Além de grande estudioso, Taylor passou por diversas empresas e setores de produção, até trabalhar como engenheiro, sua área de formação.

Assim, ele desenvolveu uma pesquisa focada no melhoramento da eficiência industrial. Propôs também uma divisão teórica da administração em dois períodos.

Antes de destacá-los, recomendamos a leitura do post abaixo que aponta as origens práticas mais relevantes da administração:

A Administração científica de Taylor no primeiro período

As primeiras publicações de Taylor ocorrem entre os anos de 1895 e 1903, quando escreve o livro “Administração de Oficinas“.

Para dar sentido às suas pesquisas, ele iniciou seus estudos tendo como base o trabalho dos operários. Porém, mais tarde o teórico estendeu as suas observações para a administração como um todo.

Nessa primeira fase, deteve-se a analisar atentamente o trabalho e as técnicas de produção dos operários.

Famoso estudo dos tempos e movimentos

Para tanto, criou um conceito chamado de estudo de tempos e movimentos cujo fim era o de aumentar a produtividade à medida que encurtava o tempo gasto para realização da tarefa.

Nessa análise, Taylor observava diferentes tipos de tarefas.

Após suas observações e análises, concluiu que os indivíduos produziam menos do que tinham capacidade, devido aos equipamentos da época e outras relações.

Além disso, seus estudos também mostraram que essa tendência se estenderia para todos de um mesmo setor.

Conclusões de Taylor

Em virtude desses estudos, Taylor chegou a algumas conclusões importantes.

Para ele, administrar adequadamente era sinônimo de pagamento salarial justo em conjunto com a minimização dos custos de produção.

No entanto, isso só seria possível com a aplicação de métodos científicos de pesquisa e apuradas experimentações.

   

Além disso, Taylor também percebeu que os funcionários precisavam contar com materiais adequados e condições razoáveis de trabalho.

Esses fatores deveriam ser cientificamente selecionados.

Dessa forma, os empregados deveriam treinar suas aptidões para executar serviços e tarefas com mais eficiência.

Segundo período científico de Frederick Taylor

Após os estudos iniciais apontados, Taylor continuou a desenvolver sua pesquisa na área do trabalho e da administração.

Aqui, adentramos ao chamado segundo período de sua pesquisa, em 1911, envolvendo, portanto, os principais preceitos elaborados por ele.

Estruturação do pensamento científico de Taylor

administração científica
Frederick Winslow Taylor (1856-1915). Domínio Público

Durante essa época, Taylor começou a elaborar um pensamento científico voltado para uma estruturação empresarial que possibilitasse a operacionalização do trabalho.

Identificou algumas oportunidades para dar um início prático a suas ideias.

Nessa perspectiva, começou a identificar períodos de ociosidade no trabalho, funcionários com conhecimentos insuficientes, escassez de padrões e métodos uniformes para uma realização mais ajustada das atividades organizacionais, entre outras coisas.

Sistema de administração proposto por Taylor: análise e bom senso

Assim, para resolução desses problemas, o estudioso estruturou um importante sistema de administração intitulado de “Gerência Científica no Trabalho” e também a “Organização Racional do Trabalho“.

Taylor propôs uma divisão de eficiência do trabalho dentro das empresas, englobando 75% (setenta e cinco) em análises e 25% (vinte e cinco) no que ele chamou de bom senso.

Administração como atividade científica

Uma das contribuições mais importantes durante esse segundo período foi pensar na administração em forma de ciência.

Para isso, propôs um procedimento realizado de maneira gradual e sem mudanças radicais.

Sua preocupação maior era a de justamente não atrapalhar o equilíbrio entre funcionamento empresarial e operários.

Principais preceitos da Administração científica

Segundo as observações de Taylor, há um arranjo já definido com relação à administração científica e à maneira pela qual ela influencia a empresa e seus funcionários.

Destaca-se algumas questões fundamentais que necessitam de aprimorada análise a fim de se alcançar uma eficiência maior, quais sejam:

  • Salário de funcionários;
  • Organização interna do empreendimento;
  • Qualificação do trabalhador X divisão de tarefas;
  • Correção da exploração indevida do trabalhador apenas em prol dos interesses patronais.

Para ele, esses aspectos deveriam ser sistematicamente revistos.

Propostas essenciais de Taylor

De acordo com os preceitos citados acima, os estudos da administração científica concentraram-se em propostas como:

  • Planejamento das atividades em busca da racionalização do trabalho;
  • Alta especialização de tarefas, subdividindo-as em partes cada vez menores;
  • Padronização dos métodos de trabalho;
  • Remuneração salarial fundamentalmente atrelada com nível de produção individual;
  • Controle de Trabalho feito pelas gerências.

Consequentemente, tais propostas entraram em conflito com a cultura empresarial da época. Esta era caracterizada sobretudo pela falta de união e solidariedade entre os funcionários.

   

De qualquer forma, sua pesquisa trouxe uma série de importantes diretrizes à área da administração em geral.

Dentre muitas, destacamos os estudos de tempo, a divisão da gerência do trabalho, padronização de instrumentos e processos, capacitação de funcionários e bonificações ao desenvolverem tarefas adequadas.

Quatro critérios fundamentais

Em conjunto a este processo, os princípios da chamada Administração científica envolveram outros aspectos importantes que se desenredaram em quatro diretrizes principais:

  1. O desenvolvimento do pensamento administrativo enquanto ciência;
  2. A concepção de uma seleção científica do trabalho;
  3. A realização de treinamentos com métodos rigorosamente científicos;
  4. A promoção da cooperação harmoniosa entre trabalhadores e gerências.

A organização do trabalho científico

Em meio à criação da teoria da Administração científica, Frederick Taylor estipulou orientações teóricas com a finalidade de garantir máxima eficiência de produção, além de minimizar os seus custos.

Dessa forma, substituiu métodos primários e superficiais em benefício do fazer científico.

Por meio do que classificou como “organização racional do trabalho”, instituiu alguns aspectos como:

  • Seleção metodológica do trabalhador, isto é, cada um ocupa-se daquilo que teoricamente possui mais aptidão;
  • Determinação de tempo-padrão para cada atividade (tempo estabelecido pelo alto escalão);
  • Planos de incentivos e recompensas salariais;
  • Priorização do trabalho em equipe com gerências focadas na supervisão de trabalho;
  • Divisão de cargos e tarefas para o aumento da eficiência;
  • Melhores condições de trabalho.

A elaboração de todos esses métodos ofereceu um novo sentido aos estudos administrativos.

Tornou-se notável que, com o passar do tempo, as ideias de Taylor influenciaram a composição estrutural das instituições, oferecendo suporte à criação de culturas organizacionais múltiplas.

The Principles of Scientific Management, Frederick Taylor
The Principles of Scientific Management, Frederick Taylor

O legado da Administração científica

Por meio de seus estudos e observações, Taylor construiu importantíssimo legado o qual influenciou muitos outros teóricos importantes, inclusive de áreas diversas.

Entre os principais destacam-se Harrington Emerson, que trabalhou como auxiliar de Taylor e aperfeiçoou algumas de suas ideias. Além de precursores da psicologia do trabalho, como Lilian Gilbreth e Henry Ford, um dos principais nomes da área de estratégia comercial.

Frederick Winslow Taylor faleceu em 1915, pouco tempo depois de instituir os preceitos de sua Administração científica.

Taylorismo

O método de análise sistemática dos processos de trabalho é considerado até os dias atuais. Seus estudos também ficaram conhecidos como Taylorismo.

Dentro desse contexto, benefícios como aumento salarial, valorização e qualificação de funcionários, redução de jornadas e dias de folga remunerados, são algumas de suas contribuições.

Por outro lado, toda essa sistematização rígida levou a uma maior mecanização do homem no trabalho. Aqui, a face social e humana do trabalhador restou quase que completamente perdida.

Administração científica e Charles Chaplin

Uma das críticas mais contundentes à época sobre como o trabalho estava tornando-se cada vez mais mecanizado, não só com o advento da teoria de Taylor mas também com tantas outras, foi a produção do filme “Tempos Modernos“, de Charles Chaplin.

Administração científica
Na cena mais famosa do filme “Tempos Modernos”, Chaplin interpreta trabalhador. Domínio Público

Ainda assim, a Teoria científica foi primordial para a evolução de todo o pensamento administrativo que surgiria posteriormente.

Por Jeferson Scholz
Graduado em Jornalismo pela Universidade de Caxias do Sul

Revisão textual e teórica por Leonardo Marioto
Formado em Administração pela UNICEP, com especialização em Gestão Organizacional e de Pessoas pela UFSCar

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

TAYLOR, Frederick W. Princípios de Administração Científica, São Paulo, Atlas, 2010, 8º ed.

RIBEIRO, Rento Vieira. Teorias da administração; Curitiba, IESDE BRASIL S.A, 2007.

SILVA, Benedito. Taylor e Fayol; Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1960.

WIKIPÉDIA. Frederick Taylor. Acesso em 10/06/2020.

Leonardo Marioto

Leonardo Marioto

Servidor público. Músico e escritor nas horas vagas. É também responsável pelo maior site de humanas do Brasil! Formado em Administração pela UNICEP, com especialização em Gestão Organizacional e de Pessoas pela UFSCar.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Posts recentes

Posts populares