Frederick Taylor: Sobre a Vida e a Obra

a partir de então, Taylor começou a encontrar sua vocação dentro da área administrativa passando de operário a engenheiro-chefe

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Atualizado em
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Engenheiro mecânico, teórico e idealizador dos conceitos que compõem a Teoria da administração científica, Frederick Taylor trouxe importantes contribuições que auxiliaram na construção das abundantes teorias administrativas.

Destaca-se que expressiva parte de seu legado relaciona-se intimamente com sua vida, cuja trajetória foi de muito trabalho e estudo.

Inicialmente, trataremos abaixo dos primeiros passos que Taylor trilhou mundo afora. Depois, abarcaremos brevemente sobre o desenvolvimento de sua teoria científica.

O início da trajetória de Frederick Taylor

Frederick Taylor
Frederick Winslow Taylor (1856-1915). Domínio Público

Frederick Taylor nasceu em 1865 na pequena cidade de Germantown, EUA.

Sua família tinha ótimas condições de vida e, desde pequeno, teve contato com uma excelente educação.

Parte desse ensino foi oferecido pela própria mãe Anette, até ir para a Europa por 18 meses com o objetivo aperfeiçoar os seus conhecimentos.

Quando completou 16 anos de idade, Taylor começou a estudar na Phillips Exeter Academy, em New Hampshire.

   

Para ele, esse período foi bastante produtivo uma vez que se preparou para ingressar na universidade.

Taylor foi aceito em Havard, uma das mais prestigiadas universidades do mundo.

Em Harvard, Taylor cursou direito, área também de estudo de seu pai.

Todavia, quando tudo parecia estar caminhando a uma dada direção, o jovem resolveu mudar os rumos de sua carreira.

Assim, trocou Harvard pela Enterprise Hydraulic Works, empresa onde foi aceito como aprendiz em meados do ano de 1873.

Já em 1878, muda novamente de trabalho para um negócio de construção de máquinas, este agora chamado de Midvale Steel Works.

Em Midvale, Frederick Taylor passou de operário a engenheiro-chefe

Frederick Taylor
Mulheres trabalhando nas lojas de material bélico da companhia Midvale Steel – National Archives and Records Administration. Domínio Público

A partir de então, Taylor encontrou sua vocação dentro da área administrativa. Passou de operário a engenheiro-chefe. Tão logo também se inspirou dando início à sua teoria da Administração científica.

Veja agora os aspectos mais importantes no desenvolvimento da abordagem administrativa como ciência.

O desenrolar da teoria da Administração científica

Durante sua trajetória profissional, Taylor concluiu o curso de engenharia mecânica no Instituto de Tecnologia Stevens, no ano de 1883.

Anos mais tarde, em 1890, o engenheiro começa a atuar como consultor em gestão na organização Investiment Manufacturing Company.

Mas, o mais incrível é que, paralelamente aos seus empregos e experiências neles adquiridas, introduziu em seu trabalho as suas primeiras observações teórico-práticas.

Além de engenheiro, Taylor começou a se destacar também como administrador, desenvolvendo os conceitos da Administração científica.

Inicialmente, dividida em duas fases principais.

Principais fases da administração científica

A primeira fase data do início do século XX, em 1903.

Nessa época, buscou maximizar a produção dos funcionários, diminuir o tempo de serviço e reduzir eficientemente os recursos e gastos industriais.

Já, na segunda fase, esta foi marcada pelo lançamento de seu livro “Princípios de Administração Científica“, escrito por volta do ano de 1911.

Princípios de Administração Científica Tayloe
Princípios de Administração Científica, Taylor

É importante ressaltarmos que, nessa obra, Taylor trabalhou com diversos aspectos para que a área fosse, de fato, encarada como uma ciência.

   

À época, seus estudos teóricos englobavam alguns pontos fundamentais, como:

  • Formas de qualificação dos funcionários;
  • Aperfeiçoamento de equipamentos;
  • Padronização de métodos e processos; e
  • Busca no melhoramento da motivação de pessoal por meio de pagamentos.

À medida que suas ideias começaram a ser implementadas, o seu reconhecimento foi ganhando cada vez mais espaço no meio empresarial.

Anos finais e conquistas de Frederick Taylor para administração

As teorias que relacionavam a administração de empresas com ciência acabaram recebendo o nome de taylorismo.

Sobre o assunto, indicamos a leitura do artigo abaixo que descreve de maneira sistemática a teoria elaborada por Taylor:

Houve também a colaboração simultânea (mesmo período) de Henri Fayol, responsável pelas ideias da Teoria clássica da administração.

Fayol juntamente com Taylor fazem parte da denominada Abordagem clássica.

Após escrever seu bem-sucedido livro, Taylor viveria mais alguns anos, sempre trabalhando e desenvolvendo melhoramentos na sua área.

Antes de escrever os “Princípios de Administração Científica“, porém, existiu outros fatos em sua vida que requerem alguns destaques.

Doutor Honoris Causa pela Universidade da Pensilvânia

Um deles é o recebimento de uma medalha de ouro no ano de 1900.

A condecoração foi obtida pelos resultados positivos no tratamento de ferramentas de aço de alta velocidade, papel que desempenhou na empresa Bethlehem Steel.

Outra notoriedade foi a contemplação com o título Doutor Honoris Causa em Ciências pela Universidade da Pensilvânia, em 1906.

Frederick Taylor acabou por falecer em 1915, aos 58 anos, na Filadélfia.

Vale dizer que até hoje seus fundamentos científicos trazem ainda um panorama importante às mais diversas organizações, sobretudo aquelas que estão iniciando os seus trabalhos.

Influências a Herrington Emerson e Ford

Naturalmente, a vida e obra de Taylor fez com que diversos outros teóricos começassem a seguir seus ensinamentos. Nomes como Herrington Emerson e Henry Ford também se inspiraram no taylorismo.

É possível afirmar que o principal legado de Taylor são os princípios que ele próprio desenvolveu, por exemplo, o do planejamento, do controle, da execução e do preparo para os trabalhadores.

Essa estrutura acabou definiu uma série de técnicas e métodos utilizados em diversos tipos de corporações.

Conclusão

O legado de Frederick Taylor também trouxe melhorias práticas para funcionários e chefes de empresas.

Por meio de seu pensamento, foi possível flexibilizar horas de trabalho, aumentar salários, proporcionar folgas para os operários e melhorar suas condições de produção.

Sem dúvidas, sua vida e história estão atreladas a uma série de conquistas e evoluções, ao mesmo tempo que trouxe um caráter científico para o campo.

Todavia, assim como destacamos no artigo sobre sua teoria da Administração científica, trouxe também alguns percalços aos trabalhadores, haja vista que a sistematização tornou o homem e seu trabalho deveras mecanizado.

Ainda assim, os efeitos de seus estudos perduram até hoje, com enorme relevância a todos os que trabalham e estudam administração.

Por Jeferson Scholz
Graduado em Jornalismo pela Universidade de Caxias do Sul

   

Revisão textual e teórica Por Leonardo Marioto
Formado em Administração pela UNICEP, com especialização em Gestão Organizacional e de Pessoas pela UFSCar

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

GONZAGA. R. M.; COELHO. J. M.. Administração científica de Taylor: o Homem do Tempo.

FRAZÃO, Dilva. Biografia de Taylor. Acesso em 10/06/2020.

RIBEIRO, Renato Vieira. Teorias da administração. Curitiba: IESDE BRASIL S.A. 2007.

Leonardo Marioto

Leonardo Marioto

Servidor público. Músico e escritor nas horas vagas. É também responsável pelo maior site de humanas do Brasil! Formado em Administração pela UNICEP, com especialização em Gestão Organizacional e de Pessoas pela UFSCar.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Posts recentes

Posts populares