Instituto Tavistock: A História por trás dos Mitos

o Instituto Tavistock norteia-se com um conceito de aliar pesquisa e aplicação de políticas concretas de alteração das realidades ao redor do mundo

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Atualizado em
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O Instituto Tavistock tem sua criação datada no ano de 1946.

Ao longo do último século, mas desde o anterior, organizações privadas que buscam promover mudanças na realidade atuam ao redor do mundo.

Institutos, academias, think tanks, organizações não governamentais e outros buscam atuar a partir de demandas que, muitas vezes, estão fora do escopo de ação de estados e empresas.

É nesse sentido que este texto busca apresentar algumas informações gerais sobre um dos mais conhecidos institutos de relações humanas.

   
Instituto Tavistock
Ilustração por dehumanas.com.br

Uma introdução ao Instituto Tavistock

De acordo com seu site oficial, o Instituto Tavistok está envolvido “com avaliação e pesquisa-ação, consultoria em desenvolvimento organizacional e mudanças, treinamento executivo e desenvolvimento profissional, tudo em serviço ao apoio a mudanças sustentáveis e aprendizado contínuo.”

Além disso, explica que o instituto “dedica-se ao estudo das relações humanas com o objetivo de melhorar a vida e as condições de trabalho para todos os seres humanos em suas organizações, comunidades e sociedades amplas e a influência do meio ambiente em todos os seus aspectos na formação ou desenvolvimento do caráter ou capacidade humana.”

Seu papel, como declaram, é o de “conduzir pesquisas e oferecer oportunidades de aprendizado através da experiência para esse fim”.

O instituto também busca “publicar os resultados de tais estudos e pesquisas” a fim de “treinar estudantes em ou para quaisquer ramos do referido estudo.”

Pesquisa e divulgação científica

Com uma história que remonta o pós II Grande Guerra, mas com raízes na I Grande Guerra, o Instituto Tavistok atua em diversos segmentos.

Muitas dessas frentes estão relacionados a pesquisas, produção e divulgação científica, bem como atuação em diversos ramos.

Algo interessante em destacar é que a organização possue um vínculo entre elaboração de políticas públicas e pesquisas.

Não obstante, alguma desinformação já foi divulgada a respeito do instituto.

Aqui, vamos explicar algumas linhas gerais a respeito dele.

História do Instituto Tavistock

A história do Instituto Tavistock remonta a I Guerra Mundial (1914-1918).

   

Naquele contexto, surgia a chamada Nova Psicologia como uma alternativa aos manicômios, muito presentes em todo mundo desde o século XIX.

A clínica Tavistock foi fundada em 1920 pelo dr. Hugh Crichton-Miller, na qual se aplicava aquilo que ele aprendeu tratando vítimas de traumas durante a I Grande Guerra para dar tratamento a civis com distúrbios mentais.

Nesse contexto, desempenhou papéis fundamentais dentro do exército britânico (TRIST, 1997).

Sigmund Freud e Carl Jung

Apesar de grande parte dos procedimentos terem surgido da experiência de atuação da clínica, é notável a influência das publicações de Sigmund Freud e Carl Jung na sua elaboração.

Tratava-se, a rigor, de uma profunda mudança de paradigma no tratamento de distúrbios mentais graves, que viria a impactar de maneira substantiva no mundo.

sigmund freud
Imagem por pixabay.com

Como explicado no início deste texto, o Instituto Tavistock foi criado em 1946. E teve seu funcionamento pleno iniciando-se no ano seguinte.

Trabalhando com colegas do Corpo Médico do Exército Real e do Exército Britânico, foram responsáveis por inovações como o War Office Selection Boards (WOSBs) e Unidades de Reassentamento Civil (CRUs).

Contribuírem também na chamada guerra psicológica naquele contexto.

O Instituto surgiu propriamente do desejo de se continuar os trabalhos e pesquisas desenvolvidos mesmo depois de finalizada a guerra.

Incentivos da Fundação Rockfeller

Um dos seus principais doadores inicialmente foi a Fundação Rockfeller, mas além disso se financiou com taxas cobradas por seus vários cursos oferecidos (TRIST, 1990).

É conhecida a importância do Instituto no sentido de ter se tornado um centro de referência para a disseminação de teorias psicanalíticas influenciadas pelo trabalho de Freud e Jung.

Vários psicanalistas importantes tiveram passagens por ele.

Além disso, muitos de seus membros tornaram-se influentes em órgãos internacionais voltados à saúde, como explica o livro “The Social Engagement of Social Science: A Tavistock Anthology“, publicado em três volumes em 1990.

The Social Engagement of Social Science, a Tavistock Anthology, Volume I
The Social Engagement of Social Science, a Tavistock Anthology, Volume I

Campo de atuação do Tavistock

Atualmente, o instituto atua em frentes bastante diversas.

O Instituto Tavistock oferece cursos de pós-graduação em várias áreas, de características mormente interdisciplinares.

Além disso, é notória sua atuação no campo de pesquisas em ciências sociais aplicadas, em diversas áreas, atuando em campos que vão da psicologia ao desenvolvimento sustentável.

Como dito, também presta consultorias voltadas à implementação de políticas públicas das mais diversas.

Promoções artísticas e acadêmicas

Desde 2012, inaugurou um programa voltado ao desenvolvimento de diversas artes, que vão do cinema e dança às artes plásticas, entre diversos setores do campo da cultura (Instituto Tavistock, s/d).

O Instituto Tavistock também conduz duas revistas importantes: a “Human Relations” que teve início em 1947, além da “Evaluation – The International Journal of Theory, Research and Practice”, fundada em 1995.

Ambas apresentam um escopo parecido de publicações, nas quais as reflexões acadêmicas e as aplicações práticas das discussões são objetos centrais de análise (Instituto Tavistock, s/d).

   

Atuação atrelada às ciências sociais e psicologia

tavistock institute
Imagem por ElisaRiva em pixabay.com

Em suma, o instituto atua com ciências sociais aplicadas e psicologia, além de áreas relacionadas à educação e pesquisa.

Norteia-se com um conceito de aliar pesquisa e aplicação de políticas concretas de alteração das realidades ao redor do mundo.

É conhecido, por exemplo, a chamada Abordagem Sociotécnica do Desenvolvimento Organizacional, que mudou profundamente a forma de organização de trabalho no último quartel do século XX, influenciando muitos modelos de organização do trabalho desenvolvidos desde então.

O termo em si se refere aos trabalhos de intervenção realizados pelos pesquisadores do Instituto Tavistock desde o início da década de 50.

Uma referência nesse assunto é a obra de Elliot Jacques, originalmente publicada na década de 1950.

A obra de Jacques (1972) documenta o processo de intervenção na “Glacier Metal Company“. Nela, o autor critica veementemente a posição tecnocrática de intervenção e propõe uma postura colaboracionista, de terapia social.

O que se vê é uma forma de organização baseada no conhecimento e nas técnicas das ciências sociais para melhor fazer frente a seus problemas.

Assim, se vale de conceitos como cultura, estrutura e personalidade, cruzando-se resultantes das interações destes três componentes.

Publicamos um artigo específico sobre a Abordagem sociotécnica:

As teorias conspiratórias do Instituto Tavistock

O Instituto Tavistock, a despeito de sua atuação, é constante alvo de teorias conspiratórias.

As mais conhecidas são tributárias de dois livros específicos: The Tavistock Institute of Human Relations: Shaping the Moral, Spiritual, Cultural and Political (2006), de John Coleman, e o Tavistock Institute: Social Engineering the Masses (2015), de Daniel Estulin.

The Tavistock Institute of Human Relations: Shaping the Moral, Spiritual, John Coleman
The Tavistock Institute of Human Relations: Shaping the Moral, Spiritual, John Coleman

Segundo essas teorias conspiratórias, o Instituto buscaria tomar a educação dos Estados Unidos a fim de implementar uma agenda totalitária.

O Rock, a música pop, Beatles e Rolling Stones

Para tanto, além da educação formal, os conspiracionistas atribuem ao Tavistock um plano de engenharia social.

Esse plano passaria por moldar a cultura ocidental contra o status quo, usando para tanto o rock e a música pop, além das drogas e diversas subculturas associadas ao público jovem.

É bastante comum ver essa teoria conspiratória associada à popularidade dos Beatles e Rolling Stones.

Instituto Tavistock e os Illuminati

Além disso, há também uma associação a outra teoria conspiratória, segundo a qual o Instituto seria parte de um plano da suposta ordem dos Illuminati para instaurar a chamada “era de aquário” ou “conspiração aquariana”.

De acordo com Jovan Byford e sua teoria crítica sobre os conspiracionismos (2011), é possível identificar nessa construção narrativa elementos de muitas outras teorias conspiratórias, nos quais alteram-se apenas alguns sujeitos.

Elementos como uma suposta conspiração para se destruir uma civilização inteira através da cultura existem desde o século XVIII, por exemplo.

keith richards
Keith Richards, guitarrista da banda Rolling Stones – Imagem por David Mark em pixabay.com

Conclusão

O Instituto Tavistock foi fundado nos anos 1940, tendo suas raízes ainda na Primeira Grande Guerra.

Destacou-se a partir da segunda metade do século XX, difundindo muitos paradigmas de atuação das ciências sociais aplicadas a diversos setores.

Dessa forma, tem seu impacto desde as organizações de trabalho em empresas até na implementação de agendas políticas e políticas públicas. Tem forte atuação no campo da produção científica e educação, além disso.

A despeito de algumas teorias conspiratórias, trata-se hoje de uma das mais importantes organizações voltadas a agir na esfera pública em diversos países no mundo.

Possui uma rica história e um leque bastante vasto de publicações para quem quiser entender sua forma de funcionar, seus conceitos e atuação.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BYFORD, Jovan. Conspiracy theories: A critical introduction. Springer, 2011.

INSTITUTO TAVISTOK. Who we are. s/d. Acesso em 20 jul, 2020.

INSTITUTO TAVISTOK. Our international team of experienced researchers employs a range of research skills to find practical answers to contemporary problems. s/d. Acesso em 20 jul. 2020.

INSTITUTO TAVISTOK. We own the international social sciences jornal Human Relations and host Evaluation. Both journals are published by SAGE. s/d. Acesso em 20 jul. 2020.

JACQUES, E. Intervention et changement dans I’entreprise. Paris: Dunod, 1972.

TRIST, Eric L. The Social Engagement of Social Science: a Tavistock Anthology. Pennsylvania: University of Pennsylvania Press, 1997.

Igor Rocha

Igor Rocha

Historiador de formação e comenta sempre sobre política. Além disso, aprecia uma boa cerveja, rock e metal. É ainda mestre e doutor em História pela UFMG.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

4 respostas

    1. Olá, Bruna!

      Agradecemos muito a gentileza de seu comentário!
      Sinta-se à vontade em divulgar nossos artigos, com a devida creditação, em suas redes sociais ; )

      Abraços,

      Equipe De humanas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Posts recentes

Posts populares